Almoço de Carnaval no Centro de Convívio de Alveite Grande


Exposição do presépio e cabras em fibra de vidro


bn

Capela de S. Tiago – Alveite


capela

323 Candidaturas para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal


Selecção vai começar,  e a 7 de Março serão conhecidos os 21 locais que os portugueses podem votar.

Centro do País com mais locais candidatos.

A 11 de Setembro Portugal ficará a conhecer as suas sete maravilhas naturais. 270 locais concorrem a esta distinção, mas como alguns estão em mais do que uma categoria, as candidaturas sobem às 323. O início de uma longa selecção que terminará com o voto dos portugueses quando foram conhecidos os 21 finalistas, o que acontecerá a 7 de Março.

A iniciativa da New 7 Wonders Portugal teve uma adesão de quase 100% das autarquias e o responsável Luís Segadães explica a larga selecção para que “nenhum local importante ficasse de fora” e espera que no final “os portugueses se sintam representados pelas sete maravilhas”.

Para já, uma primeira selecção será feita por um painel de 77 especialistas, que escolherá 77 locais. Depois um outro painel de notáveis escolherá os 21 finalistas, passando então o voto para os portugueses, que o poderão fazer através do site www.7maravilhas.sapo.pt. Os locais vencedores serão apurados de acordo com cada categoria (zonas marinhas, grutas e cavernas, praias e falésias, florestas e matas, grandes relevos, zonas protegidas, zonas aquáticas não marinhas), não podendo haver mais de uma ou duas maravilhas por região.

“Nunca vi uma pátria tão pequena, mas com tanta diversidade”, realçou António Vitorino. O comissário para as 7 Maravilhas Naturais de Portugal admitiu ter ficado impressionado com o número de candidaturas, mas Luís Segadães, responsável pela iniciativa da New 7 Wonders Portugal, até deu um número ainda maior: “Quando fizemos um levantamento inicial, tínhamos mais de 800 locais. Contactámos todas as entidades para garantir que nenhum local relevante ficasse para trás, para que a votação não fosse colocada em causa no final.”

As candidaturas foram 323, separadas por sete categorias: zonas marinhas; grutas e cavernas; praias e falésias; florestas e matas; grandes relevos; zonas protegidas; zonas aquáticas não marinhas. A maior incidência verifica-se na zona centro do País, com 69 candidaturas; seguida do Norte, com 56; e de Lisboa e Vale do Tejo, com 47. A categoria de grandes relevos tem 75 eleitos e praia e falésias, 73.

No ano em que a biodiversidade estará em destaque em todo o mundo, Portugal quer com a eleição das 7 Maravilhas Naturais mostrar a sua diversidade na natureza. “Espero que com esta iniciativa se possa mudar a tendência para a desvalorização da importância do ambiente e que possa haver orgulho no património natural”, referiu Humberto Rosa, secretário de Estado do Ambiente.

Com a eleição dos sete monumentos que passaram a ser as 7 Maravilhas de Portugal, houve um aumento de visitas. A expectativa de que situação idêntica aconteça nos locais que estão agora a concurso é a mesma, mas a preocupação é diferente. “O que estraga é o comportamento e não a quantidade de pessoas que visita os locais. A pensar nessa situação, estamos a construir um código de conduta que será divulgado em Abril”, explicou Luís Segadães.

As escolas serão envolvidas na iniciativa, num molde que está a ser estudado, mas para já o apoio são de parceiros como GEOTA, Quercus, Liga para a Protecção da Natureza, Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, National Geographic e do Ministério do Ambiente. Luís Segadães deseja que no final “os portugueses se sintam representados pelas 7 Maravilhas”.

Os portugueses poderão votar no site www.7maravilhas.sapo.pt quando a 7 de Março forem escolhidos os 21 locais finalistas. A 11 de Setembro, os vencedores serão anunciados na lagoa das Sete Cidades, em São Miguel, nos Açores.

Jaime Soares em entrevista pelo D.B.


Jaime Soares

Entrevista a JAIME SOARES, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares. Dirigente Nacional do PSD.
reportagem de Mário Nicolau

Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas


Madalena Carrito toma posse como presidente da Federação das Confrarias.

Os Novos órgãos sociais da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas eleitos para o triénio 2010 – 2012 – cuja direcção é presidida por Madalena Carrito -, tomam posse no próximo dia 8 de Janeiro. A cerimónia realiza-se pelas 18H00, no salão nobre da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares.