Jaime Soares e a líder do partido Manuela Ferreira Leite


https://i2.wp.com/www.ionline.pt/adjuntos/102/imagenes/000/088/0000088561.jpg

Por: Paulo Novais/Lusa

Em directo do Paleolítico

Nas autarquias as pessoas são mais importantes que os partidos. Algumas perpetuavam-se no poder e são autênticos casos de estudo.

A wikipédia informa que Vila Nova de Poiares é uma vila portuguesa localizada no distrito de Coimbra, Região Centro. Pacata e ordeira como toda a Região Centro – uma zona do país que se caracteriza pelos seus hábitos radicalmente moderados (acredite que nunca um escândalo ou uma pouca-vergonha saíram das gentes da zona centro), Vila Nova de Poiares tem uma população de 7457 habitantes, segundo números do último censo (de 2006).

7457 habitantes que não são, longe disso, todos iguais em importância. Há pelo menos um poiarense que se tem elevado mais que os seus conterrâneos, que conseguiu mais visibilidade e estatuto. Trata-se do presidente da Câmara: o social-democrata e deputado Jaime Marta Soares, conhecido sobretudo por ser o mais antigo dinossauro do poder local. Já passaram 33 anos. Na verdade, é justo, é mesmo mister reconhecer que Jaime Soares representa um caso de estudo na política autárquica. Ele que vai a votos outra vez no domingo, certamente num fastio de fim-de- -semana, lidera desde 1974 o presente e o futuro de Vila Nova de Poiares. Ao todo já cumpriu nove mandatos sem interrupções. Se agora está prestes a começar o último que a lei permite, é só porque a Constituição se lembrou de proibir a renovação infinita dos cargos executivos. Caso contrário, poderíamos continuar a ver Jaime Soares ancorado ao cargo para sempre. Para quem não deixou de maldizer a proibição, vontade não lhe faltava.

Quem um dia quisesse estudar o que sucede a uma pessoa depois de completar nove mandatos consecutivos no poder, que revoluções sofre a sua mente, que sinais de autoglorificação da personalidade são visíveis, poderia observar de perto o presidente da Câmara de Vila Nova de Poiares.

Por: Pedro Lomba

No país há outros autarcas do Paleolítico, muitos deles da CDU, mas só o “nosso” Jaime Soares, o primeiro dos poiarenses, reúne em si todas patologias de um homem que a si mesmo se vê como insubstituível e único.

Em Vila Nova de Poiares, para onde quer que nos viremos encontramos a fatal presença de Jaime Soares. As brochuras da câmara mostram o grande presidente a inaugurar obras, a reunir com munícipes, a festejar eventos.
No passado 10 de Junho, Jaime Soares discursou na Filarmónica Poiarense, cujo primeiro CD musical deixou toda a gente agradada, mas, esclarece o site oficial da vila, “em especial Jaime Soares”. Porque Jaime Soares é isso: um homem cheio de gosto e visão. E Vila Nova do Poiares não é Vila Nova de Poiares. Lembra o seu presidente que não foi por acaso que Alexandre Herculano comparou a vila com Washington. E que dizer do povo de Poiares senão que tem um “querer” e uma “força” que levam Jaime Soares “a falar em Raça Poiarense”?
Dizem alguns bufos da Raça Poiarense que Jaime Soares passou o Verão a fazer telefonemas aos munícipes, substituindo-se às empresas de sondagens. No domingo vai mesmo a votos. E podemos ir reservando o champanhe.

Por: Jurista

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: